Este site usa cookies técnicos, analíticos e de terceiros.
Ao continuar a navegar, aceita a utilização de cookies.

Preferências cookies

Cooperação para o desenvolvimento

Moçambique é historicamente um dos países prioritários da Cooperação Italiana. Na verdade, continua entre os mais pobres do mundo (185º entre 191 países no ranking de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas para 2021) e sempre esteve ligado à Itália por uma forte amizade. Pretende-se assim continuar a apoiar activamente o seu desenvolvimento, em linha com os principais instrumentos políticos e programáticos adoptados pelo governo moçambicano e pelas Nações Unidas.

Desde 1982, a Itália desembolsou fundos de donativos a Moçambique no valor aproximado de 890 milhões de euros. Os setores em que historicamente se concentrou o apoio italiano são: agricultura e desenvolvimento rural; educação, formação técnico-profissional e universitária; assistência médica. Estão em curso programas na ordem dos 250 milhões de euros, entre bolsas e empréstimos bonificados.

Moçambique está particularmente exposto às consequências das alterações climáticas. Neste contexto, durante o ano de 2019 (entre março e abril) as províncias do centro e norte do país foram atingidas pelos ciclones Idai e Kenneth, que causaram prejuízos e prejuízos superiores a 3 mil milhões de dólares. É notável o empenho italiano nas fases de emergência e reconstrução pós-ciclone, ainda em curso. Em primeiro lugar, foi anunciada a concessão de um crédito de ajuda de 35 milhões de euros, cuja utilização concreta está neste momento a ser estudada a favor da recuperação das actividades produtivas do sector agrícola, junto dos parceiros institucionais (Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural ). Além disso, o hospital cirúrgico de campanha montado durante a emergência, no valor de 2,2 milhões de euros, foi definitivamente doado ao hospital central da cidade da Beira após um período de formação do pessoal médico local por parte dos operadores de proteção civil italianos.

Foram ainda atribuídos 2,7 milhões de euros à recuperação de serviços e tecido económico-social a favor das populações afectadas pelos dois ciclones; outras intervenções incidiram nas províncias de Manica e Sofala: 1 milhão de euros para a melhoria das condições de vida dos deslocados na zona da cidade de Pemba e distrito de Metuge, em Cabo Delgado, 500 mil euros para o fornecimento de subsistência e oportunidades económicas para jovens e mulheres em comunidades deslocadas e de acolhimento e 605 mil euros através da Delegação de Manica do Fundo de Desenvolvimento Agrícola (FDA), dependente do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural, foram destinados a medidas de segurança alimentar.

A presença da sociedade civil italiana é significativa, com mais de 30 organizações atuantes no país.

Para mais informações sobre as actividades da Cooperação Italiana em Moçambique, sugere-se consultar a página web do Gabinete AICS (Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento) em Maputo no seguinte endereço internet: https://maputo.aics.gov.it/